• Roseli

AEVAL lança carta aberta com propostas aos candidatos a prefeito de Valinhos

A AEVAL (Associação dos Empresários de Valinhos), presidida por Rafael Di Falco Cossielo, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, apartidária, composta por mais de 50 associados voluntários, com cadeira em três conselhos municipais, responsável pela geração de aproximadamente 1.000 empregos diretos e com forte atuação no terceiro setor e demais ações em benefício de seus associados e da coletividade, encaminhou para todos os candidatos a prefeito de Valinhos uma carta aberta, com 14 propostas, que seguem abaixo, para que sejam consideradas na futura gestão municipal.

1- Elaboração e implementação de um plano com o objetivo de manter as empresas estabelecidas no município, através de incentivos, desburocratização dos serviços relativos a certidões, alvarás, construção, bem como com relação as questões relacionadas a infraestrutura, meio ambiente e saneamento.

2- Elaborar uma política mais agressiva para atração de novas empresas/indústrias para o município, através de um marketing empresarial, explorando as ótimas condições apresentadas como a posição do município no ranking de IDH, a malha viária, proximidade de Viracopos dentre outros.

3- Criação de uma comissão formada pela administração, conselhos e entidades representativas, para realização do diagnóstico do município, considerando as demandas como mobilidade urbana, sociais, econômicas, saúde, infraestrutura, segurança, educação, saneamento e administrativas entre outras, para definição de metas a serem seguidas nos próximos 4 anos, de forma tornar mais transparente a gestão municipal.

4- Buscar e fomentar maior integração com a RMC, afim de elaborar políticas públicas conjuntas para problemas comuns aos municípios limítrofes, como saneamento, mobilidade urbana, saúde, transportes, limpeza urbana, aterros sanitários, reciclagens, captação e tratamento de água/esgoto, meio ambiente, segurança dentre outros, afim de promover uma governança metropolitana para solução de problemas comuns.

5- Transformar os conselhos municipais em deliberativos e chamá-los a participar do planejamento e nas tomadas de decisões relativas a cada conselho, tornando a participação dos conselhos mais efetivas, do que meramente figurativas.

6- Priorizar a retomada do plano diretor, que é fundamental para as soluções do município e principalmente para uma definição do que podemos esperar para os próximos 10 anos, principalmente com relação ao desenvolvimento econômico e sócio ambiental, através da atração de investimentos para geração de empregos e renda.

7- Elaboração de um programa em parceria com SENAR, ITAL, agências de fomento ao turismo rural dentre outras, com o objetivo de intensificar o turismo rural do município, agregando valor ao turismo rural na agricultura familiar. Incentivar, através de parcerias com empresas do município e apoio do ITAL, a industrialização do excedente da produção de frutas (base da agricultura familiar), com objetivo de se tirar maior proveito da produção, uma vez que as culturas do município são de produtos sazonais.

8- Redefinição das áreas agrícolas do município, em função do interesse dos produtores/proprietários em continuar com suas culturas. Possibilitar novos empreendimentos netas áreas disponíveis, através da permissão de instalação de empresas de baixo impacto ambiental na região. Com isso, possibilitar a diversificação de empreendimentos, negócios e empresas na área rural do município, sem prejuízo econômico, cultural e socioambiental.

9- Que o poder executivo construa uma boa relação com o poder legislativo e fortaleça um relacionamento com as entidades de classe organizadas (sociais, comerciais e empresariais), com o objetivo de se pautar a administração através de um bom relacionamento e com a convergência dos esforços, metas e ações, de encontro com os interesses da coletividade.

10- Pautar a administração municipal sobre a ética, probidade, transparência, profissionalismo e equidade, sabedores que, as dificuldades financeiras e administrativas que terão pela frente, são, ou pelos menos deveriam ser de conhecimento de todos postulantes ao cargo.

11- Definições de Planejamento e Execuções para investimento da Autarquia de Abastecimento de Água e Esgoto de Valinhos (DAEV) para mitigação de problemas frequentes de desabastecimento de água que impedem o crescimento urbano e dificultam a instalação de empresas na cidade.

12- Criação de um Polo de Alta Tecnologia na cidade para atrair empresas de desenvolvimento de software gerando criação de empregos e renda para a Cidade.

13- Criação de um polo logístico explorando o eixo viário da Cidade de forma a trazer renda e empregos para a região.

14- Otimização viária como objetivo de mitigar o engarrafamento causado pelo movimento pendular em horário de rush.

O presidente da AEVAL destaca ainda que, a entidade se coloca à disposição da futura administração no que puder contribuir para uma administração transparente, inclusiva, ética, técnica e profissional, única forma que vemos como possível para se realizar uma administração para todos, bem como se colocará como inquisidora e fiscalizadora da administração através dos canais legais e cabíveis de que dispõe, em benefício de seus associados e da coletividade.



0 visualização0 comentário