top of page
  • Roseli

AEVAL promove encontro para discutir sobre o agronegócio em Valinhos

A AEVAL – Associação dos Empresários de Valinhos promoveu na sexta-feira, 23, um encontro com seus associados, na Vinicola Chão de Pedra, localizada na Alameda Carlos de Carvalho Vieira Braga, Chácaras Alpina, de propriedade de Pedro e Regina Rodelli, que recebeu o grupo com um delicioso café da manhã.

No encontro liderado pelo Rafael Di Falco Cossiello, presença do Secretário do Desenvolvimento Econômico da Prefeitura – José Eduardo Camargo, o Presidente do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural – Gustavo Previtali, o vereador André Amaral, Presidente da AMARCA – Associação de Moradores Macuco, Reforma Agrária e Capivari – Cláudio de Queiroz Guimarães, Floriane P.F. Copetti – Presidente do Condomínio Agrário Núcleo Capivari, Hélio Yonemura – Presidente da Nipo Macuco e diversos empresários.

O Presidente da AEVAL – Rafael Di Falco Cossiello destacou o objetivo do encontro, que é o de promover uma aproximação da AEVAL com o setor do AGRO de Valinhos, com as lideranças das associações representativas do setor e também do poder público, para juntos buscarem soluções para Valinhos.

A reunião na Vinicola Chão de Pedra uniu o lazer, o meio ambiente, na famosa Serra dos Cocais, com uma paisagem bonita e o cuidado especial para o turismo de Valinhos pelos proprietários: Pedro e Regina.

“Neste encontro queremos ouvir e entender a situação atual e de que forma poderemos somar esforços para um AGRO mais forte, competitivo, lucrativo e mais sustentável no município”, disse Rafael.

Entre os temas discutidos está a sustentabilidade no agronegócio. O empreendedor rural Matheus Lacarini falou sobre as dificuldades do setor, a falta de mão de obra, às exigências do mercado e os custos para manter a produção. “Temos uma empresa a céu aberto, que exige mão de obra especializada, controle de qualidade, controle administrativo, etc., posso garantir que está cada vez mais difícil, porque é muito dinheiro investido sem saber o retorno”.

Também Gustavo Previtali, filho de família tradicional de agricultores, que resolveu apostar no campo, e também criou uma indústria de geléias, aproveitando tudo o que é produzido na propriedade.

Durante o encontro muito se falou sobre tecnologia e inovação, explorando formas de promover o uso no agronegócio de Valinhos. O presidente da AEVAL – Rafael Di Falco Cossiello lançou um questionamento aos presentes: Dentro do cenário de Valinhos, de que forma poderemos inserir esse agricultor na profissionalização, para geração de recursos?

Gustavo Previtali disse que a falta de informação, falta de tecnologia são agravantes para o crescimento, muitos produtores rurais estão envelhecendo e seus filhos não querem dar continuidade à lavoura. Para os mais jovens, trabalhar na indústria a céu aberto não é a certeza de crescimento”.

Ainda no encontro, falou-se sobre a exportação da produção de Valinhos, principalmente o figo, que representa de 30 a 40% da produção na média, sendo os maiores exportadores; Lacarini, Gobato, Adelfo e Previtali.

Gustavo que está à frente do Conselho do Desenvolvimento Rural, disse que a criação de um selo para os produtos de Valinhos, assim como a criação de pontos de venda dos produtos da cidade, ajudariam os agricultores. Outra grande dificuldade apontada é o acesso a mercados de Valinhos.

O vereador André Amaral falou sobre o trabalho em cima do Plano Diretor, que se encontra na última fase onde os vereadores estão trabalhando em 72 emendas apresentadas para melhorar o que vai ser feito na cidade, O presidente da AMARCA Cláudio de Queiroz Guimarães destacou que o Plano Diretor é um tema difícil de ser enfrentando, mas é a oportunidade de discutir o que será realizado. “A nossa região: Macuco, Capivari e Reforma Agrária está cercada de grandes rodovias, ou se toma uma atitude com o Plano Diretor ou vamos ter problemas futuros, a Prefeitura ao invés de atender quem mora na área, preferiu atender associações que não vivem no local e não sabem dos problemas. Hoje temos uma região deteriorada, com três loteamentos clandestinos, fossa contaminando o lençol freático, precisamos que a AEVAL, o Conselho do Desenvolvimento Rural nos ajudem”.

Várias sugestões foram apresentadas como a criação do selo do produto de Valinhos, abrir pontos específicos com venda dos produtos de Valinhos, incentivo para fixação do homem no campo, avanço na tecnologia, incentivos, criação de uma cooperativa, ou a integração, formando um grupo com vários produtores, onde poderão se ajudar.

Como presidente da AEVAL – Rafael Di Falco Cossiello, disse que Valinhos vai crescer, isso é inevitável, mas precisa ser de forma ordenada, é importante que o Plano Diretor possa barrar os assentamentos ilegais, para extinguir a ocupação desordenada. Defendemos que a vocação para o desenvolvimento sustentável de Valinhos pode ser agrícola, residencial ou industrial/comercial, ou até mesmo os três de forma ordenada e com seus respectivos zoneamentos respeitados.”

A reunião teve pontos bastante positivos que serão aprofundados, num próximo encontro. Após a reunião, os presentes puderam conhecer a propriedade Chão de Pedra, as uvas cultivadas e degustar os vinhos produzidos pelo casal Pedro e Regina Rodelli.


10 visualizações0 comentário

留言


bottom of page